Rádio Universidade AM

[14 de fevereiro] Conheci ontem o que é celebridade. Estava 1798

[14 de fevereiro]

Conheci ontem o que é celebridade. Estava comprando(a) gazetas a um homem que as vende na calçada da Rua de S. José, esquina do Largo da Carioca, quando vi chegar uma mulher simples e dizer ao vendedor com voz descansada:

− Me dá uma folha que traz o retrato desse homem que briga lá fora.

− Quem?

− Me esqueceu o nome dele.

Leitor obtuso, se não percebeste que "esse homem que briga lá fora" é nada menos que o nosso Antônio Conselheiro, crê-me que és ainda mais obtuso do que pareces. A mulher provavelmente não sabe ler, ouviu falar da seita de Canudos, com muito pormenor misterioso, muita auréola, muita lenda, disseram-lhe(b) que algum jornal dera(b) o retrato do Messias do sertão, e foi comprá-lo, ignorando que nas ruas só se vendem as folhas do dia. Não sabe o nome do Messias; é "esse homem que briga lá fora". A celebridade, caro e tapado leitor, é isto mesmo. O nome de Antônio Conselheiro acabará por entrar(c) na memória desta mulher anônima, e não sairá mais. Ela levava(d) uma pequena, naturalmente filha; um dia contará a história à filha, depois à neta, à porta da estalagem, ou no quarto em que residirem(e).

 

(Machado de Assis, Crônica publicada em A semana, 1897. In Obra completa, vol.III, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997, p. 763)

Considerado o contexto, está correto o que se afirma em:

Questão no QuestionsOf: [14 de fevereiro] Conheci ontem o que é celebridade. Estava 1798

Questões similares